sexta-feira, 12 de abril de 2013

Com Deus eu me deito...


Na minha meninice, antes de dormir, rezávamos três orações: Santo Antônio pequenino, o Pai-nosso e Com Deus eu me deito... Esta última, com muitas variações, existe em todo o Brasil. Herdamo-la de Portugal. E, falando na Lusitânia, meu amigo, o professor José Joaquim Dias Marques, da Universidade do Algarve, Faro, enviou-me, gentilmente, as versões abaixo reproduzidas:

"Algumas ORAÇÕES PARA DIZER AO DEITAR, recolhidas da TRADIÇÃO ORAL no distrito de Faro.

São extraídas do _corpus_ publicado e estudado na tese de mestrado de Elisabete Andrade Reis, que tive o gosto de orientar, e foi defendida hoje na Universidade do Algarve. 

Estes textos pertencem às recolhas inéditas, feitas por alunos meus, que se encontram à guarda do Centro de Estudos Ataíde Oliveira (Universidade do Algarve).

***
Com Deus me deito,
Com Deus me levanto.
Na graça de Deus
E do Divino Espírito Santo,
E a Nossa Senhora me cubra
Com o seu divino manto.

Informante: Silvina Porfírio da Costa, 83 anos.
Natural do Sítio do Malhão, concelho de Tavira, distrito de Faro.
Recolhido por Elisabete Andrade Reis, 27/1/2003

***
Com Deus me deito,
Com Deus me levanto,
Com a graça de Deus
E do Divino Espírito Santo.
Se eu adormecer, acordai-me,
Se eu morrer, alumiai-me,
Com sete velas acesas,
Três aos pés, quatro à cabeceira
E a Nossa Senhora à dianteira.
Pela Virgem Maria,
Um pai-nosso e uma ave-maria.

Informante: Catarina Lopes Esteves, 78 anos.
Natural de Agro, concelho da Murtosa, distrito de Aveiro.
Mora em Faro.
Recolhido por Paula Santos Almeida, 28/01/2003.

***
Com Deus me deito,
Com Deus me levanto,
Na glória de Deus,
Espírito Santo.
Espírito Santo me dê a guia.
Disse Jesus à Virgem Maria:
“Virgem, adia,
Virgem, adora.
Bendita seja a alma
Que se deita nesta hora.”

Informante: Catarina Rosária, 85 anos.
Natural de Algunha, concelho de Almodôvar, distrito de Beja.
Mora na Várzea da Mão, concelho de Loulé, distrito de Faro.
Recolhido por Elisabete Andrade Reis, 21/12/2002

***
Já se toca a hora
E a Virgem adora.
Eu vou-me deitar.
Dois anjos vão estar,
Dois aos pés,
Dois à cabeceira,
Virgem Nossa Senhora
Na minha dianteira.
Benzeu-se a Virgem,
Benzi-me eu,
Bendita seja a hora
Em que Deus nasceu.

Informante: Zenóbia da Conceição, 84 anos.
Natural de Castro Marim, concelho de Castro Marim, distrito de Faro
Mora em Olhão.
Recolhido por Cláudia Cabrita dos Santos, 28/12/2004.

***
Nesta cama me vou deitar
Para o meu corpo descansar.
Se a morte me vier buscar
E eu não lhe possa falar,
Entrego-me ao Santíssimo Sacramento
E à relíquia que está dentro.

Augusta Batalha, 44 anos.
Natural de Évora.
Mora em Faro
Recolha de Daniel Batalha da Costa, 28/01/2004.

***
Ave-maria,
Com Deus na Cruz.
Custódia divina,
Salvai-nos, Jesus!

Informante: Cândida da Conceição Porfírio, 94 anos.
Natural do Sítio do Malhão, concelho de Tavira, distrito de Faro.
Recolha de Elisabete Andrade Reis, 27/01/2003."

========================================================

A versão que aprendi é a seguinte:

Com Deus eu me deito,
Com Deus me levanto;
Nossa Senhora do pranto,
Me cobre com vosso manto.

Essa casa tem quatro cantos,
Quatro anjos me acompanham.

Santo Antônio diz a missa,
São Pedro benze o altar.
Nossa Senhora benze a minha cama,
Pois nela vou me deitar.


Josete Diniz, professora de Angical, oeste da Bahia, enviou-nos esta versão:

Com Deus eu me deito,
com Deus eu me levanto.
Com as graças de Deus
e do Espírito Santo.
Amém!

Stelio Torquato Lima, cordelista e professor da Universidade Federal do Ceará, divulgou a versão que aprendeu do pai:

São Bento e água benta,
Jesus Cristo no altar,
O mal que [es]tiver aqui
Se arrede pra nós passar.

Paula Laranjeira, já conhecida nossa, contribui com esta variante:

Com Deus eu me deito,
Com Deus me levanto,
Com a graça de Deus
E do divino Espírito santo.

Se eu dormir, vós me acordais,
Se eu morrer, vós me alumiais,
Com três velinhas bentas
O senhor me abençoai.

Em nome do Pai
E do Espírito Santo

Josenir Lacerda, cearense, cordelista de mão cheia, também contribui com mais um exemplo:

Com Deus eu me deito,
Com Deus eu me levanto.
Nossa Senhora me cubra
Com o vosso divino manto.

Em Superstição no Brasil (p. 418), Câmara Cascudo, generosamente, apresenta o que ele chama de "uma nota de ternura infantil", aprendida em 1905, quando contava sete anos de idade:

Com Deus me deito, com Deus me levanto!
Com a graça de Deus e do Espírito Santo.
Senhora, cobri-me com o vosso manto.
Qu'eu bem coberto for,
Não tenha medo nem pavor
Do mal pior que for!
Senhor, deitar-me quero!
Se dormir, acordai-me!
Se morrer, alumiai-me
Com as três velinhas bentas
Da Santíssima Trindade!
Em nome do Padre, do Filho, do Espírito Santo! Amém!

ATENÇÃO: Sábado, 10 de novembro, tem lançamento do livro Tristão e Isolda em Cordel (SESI-SP Editora) na livraria PanaPaná.