sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Senhora Santa Luzia

Ficheiro:Lorenzo Lotto 004.jpg
Santa Lúcia (Luzia) diante dos juízes, de Lorenzo Lotto (1480-1556).
A devoção popular a Santa Luzia chegou-nos, como a maioria das tradições, via Portugal. Arraigou-se de tal maneira que pelo menos cinco municípios brasileiros têm o seu nome.  Luzia (ou Lúcia) teria nascido em Siracusa por volta de 283 e morrido em 304, numa das muitas perseguições movidas pelo imperador romano Diocleciano. 


A iconografia a representa como uma jovem belíssima com uma folha de palmeira numa das mãos e uma salva contendo os seus olhos na outra. A origem é a lenda segundo a qual, após haver decidido servir ao Senhor, Luzia teria sido assediada por um jovem, especialmente por causa da beleza de seus olhos. Teria ela oferecido os próprios olhos como sinal de sua recusa das coisas terrenas. Por milagre, os olhos renasceram em suas órbitas. Daí ser, ainda hoje, reconhecida como Padroeira da Visão.

No Brasil, é celebrada a 13 de dezembro. É famosa a experiência das pedras de sal, anunciadora da chuva ou da seca. O dia de Santa Luzia, antes da reforma do calendário gregoriano, era celebrado numa data mais próxima do solstício de inverno (no Hemisfério Norte), e está diretamente ligado a práticas pagãs devidamente cristianizadas. O próprio nome da santa, Lúcia em italiano, deriva do latim lux (luz).

2 comentários:

José Paulo Ribeiro disse...

O ícone católico que ostenta uma folha de palmeira nos mostra que aquele santo(a) foi martirizado(a)por defender a sua fé cristã. Se aparecer os lirios, o motivo da canonização foram sua pureza de espirito e seu exemplo de vida(Santo Antonio, São José, etc.)

Marco Haurélio disse...

Isso mesmo, José Paulo. Na Legenda Áurea, Jacopo Varazzi diz que o(a) santo(a) recebeu a "palma do martírio".